domingo, 7 de março de 2010

Plastic Tree - 15 anos de Sucesso!

Perfil Plastic Tree


Apesar do Plastic Tree já existir há quase quinze anos e terem alcançado vários marcos consideráveis no Japão, eles são uma banda um tanto quanto desconhecida pelo público ocidental. Eles começaram com a banda em 1994, e ao contrário do que muita gente pensa seu nome não veio da música do Radiohead, e sim da vontade da banda de juntar o natural (árvore) com o artificial (plástico). Nos primeiros anos de banda, eles tinham um som mais sombrio, como uma banda new-wave, mas com o passar dos anos, o estilo do Plastic Tree mudou muito. Hoje, sua música pode ser descrita como pop-rock, caracterizada pela incrível voz de seu vocalista.



Formação
Vocal: Arimura Ryutaro
Guitarra: Nakayama Akira
Baixo: Hasegawa Tadashi
Bateria: Sasabuchi Hiroshi [2002 / 2009 - Saiu]
Bateria: Shin [1993 / 1994 - Saiu]
Bateria: Takashi [1994 / 2001 - Saiu]


Biografia




O Plastic Tree iniciou atividades em dezembro de 1993, porém sua história começa um tempo antes. Já em 1992, Ryutaro e Akira tinham uma banda chamada RELIGION MIX e depois fizeram juntos o DROP'IN SHOP LIFTERS, outra banda que não deu certo. Pouco depois Ryutaro juntou forças com Tadashi e formaram o CAM-FLAGE. Após alguns meses Akira se juntou à banda na guitarra e Koji entrou na bateria, mudando assim o nome para NTT FUCKS. Logo depois a banda muda de nome novamente, enfim se tornando Plastic Tree.

Após terem trocado algumas vezes de baterista, eles finalmente acertam sua formação. Ryutaro nos vocais, conhecido por sua voz suave e doce, suas letras sombrias, mas também por sua 'instabilidade mental'. Tadashi no baixo, que assumiu a posição de líder da banda, e foi responsável pela maioria das músicas. Akira na guitarra, que também escreveu uma grande quantidade de músicas, e Takashi na bateria.
Após alguns singles que foram distribuídos gratuitamente em seus shows em alguns clubes, eles lançaram seu primeiro mini-álbum, Strange fruit -Kimyou na kajitsu- em 1995. O som era muito sombrio e a influência de bandas como The Cure e Radiohead eram muito óbvias.



Em 1997 eles se tornaram major, e no mesmo ano lançaram seu segundo álbum, Hide and Seek. Este álbum juntamente com seu terceiro chamado Puppet Show (lançado em 1998), são considerados entre os fãs, como dois dos melhores álbuns do Plastic Tree.
Em Setembro de 2000 seu quarto álbum Parade seria lançado. Apesar de ser um ótimo álbum, alguns dos fãs mais antigos não conseguem gostar de nada da 'era' depois desse álbum. Parade, assim como seus antecessores, tinha o mesmo som sombrio, apesar de ser um pouco mais pop.

Em 2001 o PuraTuri (como ficou conhecido pelos fãs) lançou uma coletânea e uma compilação de singles, chamadas (2001.03.07) Cut ~Early Songs Best Selection~ e Single Collection. Algumas músicas ganharam uma mixagem diferente, outras ganharam versões diferentes, contudo nenhuma nova música foi lançada nesses álbuns.
Por volta dessa mesma época, eles trocaram de baterista novamente. No início de 2001 Takashi abandonaria a banda, e no final do mesmo ano, Sasabuchi Hiroshi (ou Bucchi) se juntou à banda. Parecia como um novo começo para o Plastic Tree e isso não era somente por causa da mudança de bateristas, mas também sua música começou a mudar, mais e mais.



Começaram a aparecer muitos rumores então, que o Plastic Tree teria se tornado uma banda comercial, simplesmente porque eles começaram a fazer um som cada vez mais pop.
Träumerei seria lançado no final de 2002, e alguns meses depois outro álbum de compilações, Premium Best, seria lançado.

Cada vez mais o Plastic Tree perdia mais e mais fãs, que não conseguiam suportar o novo estilo do grupo, cada vez mais pop. As coisas pareciam piorar ainda mais, quando em 2003 eles lançaram duas músicas cover, Baka ni natta no ni cover do famoso sucesso da banda japonesa: The Pees e Moshimo piano ga hiketa nara cover de Nishida Toshiyuki. Essas músicas eram incrivelmente diferentes do som 'normal' do Plastic Tree que os fãs mais velhos ficaram muito desapontados.

Após o lançamento de mais dois singles, em Outubro de 2003, seu quinto álbum Shirochronicle foi lançado. E novamente, os fãs ficaram desapontados. A sensação dos mesmos era que a banda estava se focando somente no grande mercado agora, e que começaram a fazer música com propósito comercial somente.
Em 2004, eles lançaram alguns singles, cada um deles relacionado com uma das estações do ano. Yuki Hotaru foi o lançamento de inverno, Harusaki sentimental foi o lançamento de primavera, e Melancholic foi o lançamento de verão. Contudo, um single de outono, nunca foi lançado.

Após um período que foi considerado como o 'período comercial' para algumas pessoas, o Plastic Tree voltou às suas origens com seu sexto álbum cell. lançado em Agosto o que foi uma surpresa muito grande para todos. Um novo engenheiro musical foi contratado, dando à banda um som renovado. Parecia agora que o Plastic Tree estava fazendo música de novo não porque eles queriam fazer dinheiro, mas porque eles gostavam disso.

Um pouco após o lançamento do cell. no início de 2005, a banda anunciou que eles iriam abandonar a gravadora SWEET HEART, e se juntariam a gravadora J-ROCK. Outras mudanças também foram feitas; o site oficial mudou de endereço, e o fã-clube mudou o nome de Sickroom para Jellyfish breed. Em maio de 2005, a banda lançou um novo single Sanbika o som bem parecido com seu single antecessor Melancholic, um pouco mais pop no entanto.

Em Outubro, a banda iniciou uma campanha de lançamentos de três meses, primeiro foi lançado o single Namae no nai hana que não teve nenhuma mudança significativa. A banda continua mantendo a mesma fórmula dos lançamentos anteriores, apesar dessa música ter um solo e alguns arranjos mais bem elaborados. Em seguida, a pesada Ghost, que mostrou para o grande público uma cara mais agressiva do Plastic Tree e finalmente a etérea Kuuchuu Buranko.

Em 2006 a banda finalmente se aventurou a testar o mercado ocidental, quando fizeram uma turnê internacional, com shows na Europa (Alemanha, França e Finlândia) e também no México. Os shows no México, infelizmente, foram cancelados, mas os da Europa foram tão bem sucedidos que eles retornaram no ano seguinte para uma convenção de anime, a AnimagiC.

O álbum seguinte Nega to Posi foi lançado com a proposta de satisfazer os gostos de todos os integrantes, de mostrar ao seu público quem eles realmente são e do que são capaz. O resultado foi como esperado: um trabalho único e revigorante, totalmente surpreendente! Pouco depois, em Setembro eles comemoraram seu aniversário de 10 anos como uma banda major com um grande show no lendário Nippon Budokan em Tóquio. Para comemorar a ocasião, a banda também distribuiu o single Zero de graça para todos os presentes.

O show no Budokan marcou o que a imprensa musical japonesa considerou como a 'segunda chance' do Plastic Tree, novamente tornando a banda em uma das principais bandas de visual kei do Japão. Comemorando cada vez mais aniversários, realizando mais turnês e apresentações por todo o mundo o Plastic Tree não demonstra sinal de que irá encerrar atividades tão cedo, para deleite dos fãs que acompanham seu trabalho a tanto tempo!

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...